Mestre Gualberto

Depoimentos

Ter encontrado um Mestre vivo foi para mim a prova de que a felicidade real era possível, que ela existia. Desde criança, eu sempre desconfiei que havia um estado de bem-aventurança, que seria a felicidade, mas eu nunca havia encontrado ninguém feliz, com a felicidade de uma bem-aventurança de Ser. Era este estado que eu acreditava que poderia florescer em meu coração um dia, ou sentia que ele já existia, ou já havia existido aqui de alguma forma. Foi quando encontrei o Mestre. Encontrar o Mestre foi descobrir que esta felicidade é possível, e estar ao lado Dele, nesses cinco anos, tem me mostrado a cada dia o quanto é natural essa felicidade, na medida em que descobrimos essa naturalidade de Ser.
Washington de Aquino

Estava vendo vídeos de “acordados” no YouTube, e digitei na busca: "Quem sou eu?". Apareceu, dentre outros, um vídeo do Mestre. Vendo que era brasileiro e que ainda não o conhecia, fiquei curioso e cliquei para assisti-lo. Fiquei tocado, e logo quis saber como poderia me encontrar com ele. Encontrei-o no Facebook e me informei sobre o próximo Satsang que haveria em São Paulo. Foi lá, então, que pude encontrá-lo presencialmente.  Encontrar o Guru foi ser tomado pelo Silêncio. Ele não pediu licença, ele me atropelou. Fui engolido por seu amor, devastado por sua Verdade. Hoje, a minha vida é toda dele.
Leonardo Ortega

Sempre me perguntei "quem sou eu?", "o que vim fazer nessa vida?",  acreditando que eu daria a resposta. Nunca quis ou desejei encontrar um Guru, um Mestre, porque tinha preconceito e acreditava ser uma grande bobagem. Foi Deus, na forma humana do Mestre Gualberto, que me atraiu... ou atraiu Ele mesmo. Sei agora que não há a minha resposta. Ele, Deus, o Guru, é a Resposta, com a Sua Presença, que é chama do Amor e da Verdade, consumindo todas as dúvidas. O que irá me acontecer? Não sei! Ele sabe!
Stela Norma

Desde a infância,  busquei por Deus, mas de uma maneira que considero bem “artificial”. Para mim, era estranho, pois eu não entendia como eu poderia estar orando por um Deus que só conhecia através da bíblia. No fundo, eu achava que Ele não existia, já que nunca o tinha visto. Entretanto, em momentos de desespero e dor, perguntava a mim mesmo: onde está o Senhor que me vê sofrendo e não faz nada por mim?
Quando o Mestre me encontrou, já no primeiro contato, pude de alguma maneira perceber que Ele tinha algo diferente no olhar, e foi como uma bomba! Hoje sei que tudo que vivi até aqui era pura mentira. Sei que era eu mesmo quem produzia meu próprio sofrimento.
A cada dia, posso ver o quanto é bom estar em sua Presença, em sua Paz, e envolvido por seu Amor. O Mestre foi o único que me fez sentir o que jamais senti. O Mestre para mim é o próprio Deus na forma humana.
Rewestt Santos

Aos 14 anos, para surpresa da minha família, entrei num grupo espiritualista para entoar mantras, fazer orações e visualizações. Três décadas depois de participar dos mais diversos tipos de encontros religiosos, místicos, esotéricos, filosóficos e terapêuticos (muitas terapias e autoconhecimento), eu cansei, desisti e parei. A Felicidade, a Liberdade e Verdade que eu almejava parecia inatingível. Um ano depois, por total acaso, fui ao Satsang com o Mestre Gualberto. Ao terminar, eu soube, senti e disse: a busca acabou, a procura terminou! Fui encontrado por "Aquilo", por "Aquele", e agora o trabalho começou. Gratidão eterna ao Mestre Gualberto!
Idelmar Junior

Encontrar o Guru foi encontrar Deus. O que mais eu poderia querer, além de ter encontrado o Amor e aprender, a cada instante, o que é confiar Nele? Nunca tive dúvidas de que estou diante de Deus na forma, e, ainda assim, já senti medo várias vezes. Nesses momentos de medo, nunca fiquei só em meio às minhas preces a Ele, e, por isso, eu digo: o que mais eu poderia querer? Eu tenho Deus e Sua Graça, o que pode me faltar? Só tenho gratidão à Vida, porque não foi mérito meu. É só Dele todo mérito.
Renata Alexandra

Encontrar o Mestre foi o fim de uma busca por algo que eu nem imaginava que estava procurando: um sentimento no coração de que a felicidade seria finalmente possível.
José Cotrik

Ter encontrado meu Mestre foi o grande acontecimento de minha vida, porque, a partir de então, aprendi a lidar com o sofrimento, de forma que ele se tornou mais brando. Aprendi a confiar no amor de Deus e saber que Ele verdadeiramente me ama e me quer ao seu lado. Aprendi a ser feliz, a confiar na vida como ela se mostra e a ter paz em meu coração. Aprendi a não temer e a não ansiar, pois tudo é como tem que ser.
Ser agraciada com esta Presença é ser abençoada por sorte infinita.
Rose de Assis Pinto

Primeiro, eu não encontrei o Guru, mas fui encontrada por Ele há mais de dois anos. Até esse momento, eu era uma buscadora, e sempre me faltava algo que eu não sabia bem o que era. Nunca me sentia preenchida e existia muita dor e sofrimento nessa, assim chamada, "minha vida".
Até que o Guru Marcos Gualberto me acolheu. Foi fácil reconhecer que Ele era a Presença Divina na forma e não se tratava de uma pessoa. Senti isso no coração e, desde então, tenho fé e confiança absoluta Nele.
Fiquei participando dos Satsangs, voltada para o olhar e o apontar do Mestre, em obediência plena. Hoje não sou mais a mesma, pois estou procurando sair da grande ilusão de ser uma pessoa. Não sou mais importante como acreditava ser, não planejo e nem controlo nada. Tenho certeza que tudo é apenas a Vontade Divina acontecendo.
Portanto, apesar de ainda ter ego, comparado a como era antes do Guru, está tudo indo bem. Estou voltada para o Coração, meu único chão, nessa Entrega ao Guru, totalmente conectada com Ele.
Maria Solange Nogueira

Quando encontrei o Mestre, eu não tinha muita ideia do que isso significava, mas senti que finalmente estava diante do que havia buscado toda a minha vida. Senti que tinha me completado, que era o fim do caminho. Hoje me dou conta do "milagre", da grandiosidade da bênção, que é, não só encontrar, mas também viver com um Acordado... Sem palavras.
Maria do Carmo Araujo

É difícil falar sobre isso. Eu não encontrei o Guru, foi Ele quem me encontrou! Quando eu percebi, a minha vida estava tomada por Isso! Esse Amor que Ele é tomou conta de tudo, e hoje só o que tenho é uma profunda gratidão em meu coração. Nos olhos do meu Mestre, eu encontro o caminho de casa, encontro o Amor e a Paz que sempre busquei. Nele, eu me reconheço e a busca termina, as dúvidas cessam. Não há mais necessidade de nada!
Clarinha Esteves

Estar na Presença do Mestre é estar diante do olhar de Deus, que toca profundamente meu coração e me dá a paz e a alegria nunca antes sentidas ou vividas.
Ana Ignês Lima

Receber a graça de ter o Guru em minha vida foi a melhor coisa que me aconteceu. Em sua Presença, tenho tido a oportunidade de perceber a vida verdadeiramente em seu puro êxtase e leveza, plena de amor, paz e felicidade! É ter a confiança de estar sob o olhar de DEUS.
Stella Maria

 

Nunca fui um buscador espiritual fervoroso, mas sempre houve uma inquietação dentro de mim que fazia bastante barulho, dentro e fora, nessa dualidade, sentida em relação às coisas mundanas. Essa oscilação da alegria para a tristeza, de realizar e depois não querer mais; um vazio.
Até que, quando escutei o Mestre pela primeira vez, palavras que eu já conhecia foram colocadas por Ele de uma maneira diferente, simples. Naquele momento, eu encontrei a Fonte. Uma alegria diferente tomou conta de mim e senti uma paz bastante profunda. Quando o conheci pessoalmente, essa alegria permaneceu de forma sutil, e, desde então, sinto que Ele vem me levando para essa Fonte onde Ele mora.
Robson Alencar

 

Havia 30 anos que eu vinha buscando o "quem sou eu?", e já tinha lido que "quando o discípulo está pronto, o Mestre aparece". Encontrar o Mestre Gualberto foi um “mix” de imensa alegria e alívio. Eu queria me amalgamar a Ele, queria me fundir e ser Um com Ele. Então, se deu a fulminante ruptura com tudo o que eu havia lido e aprendido nesses 30 anos. Gratidão eterna, Mestre.
Inês Lupião

Eu agradeço ao  Mestre por ter me encontrado, por ter me tirado dessa ilusão de que preciso realizar todos os desejos, todos os sonhos, para ser feliz. Obrigada por me deixar ver-me através de Você, e que eu possa estar com o Senhor sempre.
Quanto amor! Quanta paz!  "Só vivo para você,  não sou do mundo não". Muita gratidão.
Raphaella Soares

Na verdade, foi o Guru que me encontrou. Eu espero “morrer” antes que a vida chegue ao fim para este corpo.
Carlos Esmeraldo

 

Quando o Mestre me encontrou experimentei um estado de profunda paz e esse estado vem assentando mais e mais a cada dia. Meu Guru me provoca. Faz aparecer em mim os mais escondidos sentimentos, que eu nem sabia existir, para, em seguida, extirpá-los como um neurocirurgião habilidoso. Ele é um Mestre de xadrez infalível.  Não sei colocar em palavras o que o Mestre significa para mim. Aquela pessoa já morreu há muito tempo. Hoje há fragmentos dessa personalidade que está realmente desaparecendo. A pedra encontrou o fundo do oceano e está se transformando em areia; está dissolvendo-se Nele. Gratidão, Guruji.
Lucio Xavier

O Mestre nos encontra muito antes de nosso contato com sua presença física. É como se ele guiasse nossas ações para culminar neste encontro físico. 
Encontrar o Mestre fez tudo que aconteceu até aquele instante fazer sentido. Ali percebi que minha forma diferente de ver o mundo, meus questionamentos sobre a forma egoica e egoísta de agirmos, minhas práticas de meditação e minha busca pela Verdade nos livros dos sábios da Índia foram apenas uma forma de me atrair para o encontro real com o meu Mestre. Ter um Mestre é sair da teoria e entrar a fundo em um trabalho de busca pela Verdade. Em uma situação onde me senti em perigo de vida, meu pensamento se voltou para o meu Guru e senti um conforto muito grande ao observar que tinha tido a oportunidade de me dedicar nesta vida à busca da única coisa que importa: a Verdade.
Antes do Guru, minhas leituras e práticas de meditação eram confortantes, mas incomparáveis ao trabalho ao lado Dele. É como subir em um avião supersônico para um caminho sem volta.
Estefânia Martinelli

 

Na filosofia, busquei a realidade última das coisas. Ao descobrir que o pensamento não tinha compromisso com a verdade, aprendi que ele poderia ser usado como obra de arte, como potência de criação, como uma brincadeira; que poderia fazer uso dele da mesma maneira que um pintor faz uso de suas tintas; que o pensamento tinha uma outra natureza, para além do pensador e do pensado, se confundindo com a própria vida, sendo ela - a vida - expressão de Deus.
Deleuze, Nietzsche e Spinoza foram meus tutores nessa época. Mas saber estas coisas não me permitia vivenciá-las. A identificação com o pensamento sempre acontecia e reforçava minha subjetividade. O conhecimento intelectual não tinha potência suficiente para me lançar para além do homem, para além do sujeito.
Foi o encontro com o Mestre Gualberto que me trouxe essa potência de Ser, de realizar minha verdadeira natureza, superando todas as forças reativas deste mundo, todas as forças que nos fazem homens tristes, todas as forças de captura. Encontrei, ou fui encontrado, por um verdadeiro Sábio, alguém que vive a máxima de Sócrates, de saber que nada se sabe. Tenho a felicidade de, nesta vida, estar diante do homem livre apontado por Nietzsche, da liberdade de Spinoza.
Roberto Calvet

Desde pequena, eu tinha a sensação de que essa vida que conhecemos era estranha, que faltava algo essencial.
Após uma fase de grande sofrimento, já em minha fase adulta, busquei a Meditação Transcendental (MT), como forma de aliviar o estresse cotidiano e ter uma “vida melhor”. Acabei me engajando mais do que imaginava: fiz o curso de SIDDHIS e fui à Índia. Eu me aprofundava cada vez mais na busca espiritual. Após o retorno ao Brasil, um colega da MT me convidou para algo que eu jamais imaginara: conhecer um Ser “iluminado”, tal qual os Mestres indianos já falecidos de quem eu ouvira falar.
A experiência de se estar diante de um Mestre vivo é extraordinária e inexplicável. Sua Presença já é pura meditação, portanto, não é preciso realizar técnica alguma para adentrar no silêncio profundo da ausência de pensamentos.
Entretanto, o mais belo para mim foi o que passei a ver em seus olhos. Os olhos do Mestre Gualberto refletem a pureza e a inocência que eu sentia quando eu era pequena, e que “perdi” ao longo da infância. Os olhos do Mestre agem como um espelho do que somos em nossa Real Natureza, nos fazendo lembrar o quanto somos um com Deus, puro amor Divino. E, assim, a partir dessa proximidade, de mãos dadas com o Mestre, inicia-se o retorno para a nossa Verdadeira Casa.
Ana Leonor Oliveira

Busquei Deus na minha juventude e senti uma grande atração pelo Bhagavad Gita e por Krishna. Ouvi e cantei mantras, e tentei voltar meu coração para Deus, mas a mente descobriu a espiritualidade e se fascinou com experiências e conquistas, em ser mais do que acreditava ser. Assim, trilhei buscando, estudando e praticando a espiritualidade, mas nunca chegava a lugar nenhum, porque sempre tinha mais para ser, para conquistar e aprender. Assim, depois de 20 anos de conquistas na espiritualidade, eu não encontrava mais o que buscar. Não me via em nenhum caminho antigo e orei ao universo pedindo pelo Real, pela espiritualidade Real. Em menos de um mês, senti todas as conquistas que desejei e realizei, através da espiritualidade, se despedaçando, e tive momentos de lucidez, sem medo e sem desejos, até, finalmente, encontrar o responsável por tudo isso. Tive meu contato com o Mestre Gualberto e, de imediato, as minhas crenças a respeito da espiritualidade foram caindo. Então, percebi o quanto seguia os antigos caminhos para buscar preenchimento, realização de desejos e compensar o complexo de inferioridade, sendo especial por ser espiritual. Agora estou no "não-caminho" com o Guru, uma jornada que jamais imaginei ou sonhei. Quanto mais tempo na presença do Mestre, mais crenças, conceitos e ilusões vão caindo, num trabalho de vinte e quatro horas. Tenho profundo carinho por este que me guia e cuida de mim em todos os sentidos. Mesmo longe do seu olhar, sua Presença me ampara, coloca os desafios que preciso enfrentar e me ensina a não fugir da dor, para, com isso, deixar cair toda a ilusão de quem acredito ser. Ao Mestre, com carinho.
Thiery Peleias

Eu nunca estive sozinha. Desde pequena, me sentia cuidada, guiada, abençoada por algo que não sabia explicar. Algo me amava de uma forma que não poderia ser expressada de nenhuma maneira. Eu era muito feliz quando criança, até que, num determinando momento, o ego tomou as rédeas da minha vida e aquela felicidade, antes tão genuína, ficou abafada. Os anos se passaram e minha única busca era voltar a ser feliz... aquela criança feliz.
Neste mundo, sempre me senti um “peixe fora d'água”. Nada aqui fazia muito sentido, até que num momento de muito sofrimento e questionamentos sobre a vida e sobre quem eu era de fato, juntamente com um forte movimento interno que “queimava”, algo me direcionou para a Verdade. O Mestre me encontrou! Aquele que nunca me deixou sozinha, aquele que esteve comigo todos os dias.
A Graça mudou a minha vida, que não é minha... hoje é Dele.
Finalmente, voltei para Casa. Nada pode expressar tamanha gratidão. 
Guruji, Te amo!
Marjorie Denti

Com o Mestre, temos apenas uma palavra, que é Amor. Não consigo defini-lo de outra forma. Após 5 dias nesse trabalho, eu já estava em Satsang e perante a Sangha, dando o meu testemunho e agradecendo a Deus por ter me trazido aqui.  Eu vejo que eu estava em uma prisão de portas abertas e, quando o Mestre apareceu, ele não trouxe a chave, ou algo que me fortalecesse, mas sim esperança.  Quando ele apareceu e me estendeu a mão, foi para me tirar dessa prisão. Eu vi que aquele homem tinha muito mais por trás daquilo: uma esperança e amor que estavam perdidos para mim há muito tempo. Um amor que eu não havia encontrado ainda. O que eu sinto por ele é que hoje não consigo mais me ver sem a sua presença, sem poder abraçá-lo, vê-lo. É inexplicável...
André Luiz Oliveira